O psicólogo não faz “milagres” e o psicólogo do desporto numa equipa futebol não vai garantir vencer 100% dos jogos, mas a ausência deste é um caminho favorável para a derrota. Numa equipa de futebol, o psicólogo do desporto pode definir em conjunto com os jogadores ou equipa técnica o estabelecimento de objetivos.

No estabelecimento de objetivos deve ter-se em consideração:

✔️Competições durante a época
✔️Definir objetivos de resultado
✔️Estabelecer objetivos de performance

Os objetivos aumentam os níveis de motivação dos atletas e, consequentemente, melhoram a performance dos mesmos (Maitland & Gervis, 2010). Estes devem ser específicos, mensuráveis, realistas e baseados num determinado período de tempo (Cox, 2002). Objetivos específicos têm efeitos mais positivos na performance do que objetivos de fácil realização e simples de se alcançar. (Locke & Latham, 1990)

Um dos erros bastante comuns é o erro no estabelecimento de objetivos, isto é, definir os objetivos de resultado sem estabelecer os objetivos de performance.

Quando falamos de objetivos de resultados referimo-nos a “o que queremos alcançar?”, enquanto no caso dos objetivos de performance referimo-nos a “como vamos alcançar o objetivo?”

Pode-se ganhar apenas com objetivos de resultado? Sim. No entanto, a sorte não dura sempre, e tanto numa equipa de esports ou numa equipa de futebol o processo é essencial para a vitória.

Quando os objetivos são bem definidos, os objetivos de resultado são acompanhados dos objetivos de performance e são definidas as prioridades, os resultados podem não surgir a curto prazo, mas certamente chegarão a médio/longo prazo.

Aplicações práticas

Começando pela formulação de objetivos, podemos definir objetivos de performance e objetivos de resultado, no futebol. Exemplos de objetivos de resultado podem ser: “ser apurado para uma final” ou “ganhar por 3 golos de diferença o próximo jogo”. Objetivos de performance podem ser: “fazer passes para o ala 80% das vezes que a bola estiver no meu poder” ou “realizar 80% dos remates à baliza adversária”.

Os psicólogos do desporto usam o acrónimo SMART para ajudar os treinadores no estabelecimento de objetivos.

Utilizando este acrónimo, um dos exemplos poderá ser:

Specific (específico) – Um médio defensivo ganhar, pelo menos, 90% das interceções durante um jogo.

Measurable (mensurável) – Quantos golos ou passes acertados durante a época

Attainable (atingível) – Os objetivos devem ser desafiantes, mas ao mesmo tempo atingíveis. Ou seja, deve-se começar com objetivos mais fáceis de alcançar, de forma a promover a motivação no jogador e mostrando-lhe que este é capaz de atingir objetivos maiores.

Realistic (realista) – O atleta deve sentir que os objetivos propostos são alcançáveis e realistas de acordo com a sua capacidade física e técnica.

Time Based (baseado no tempo) – Os objetivos devem ser estabelecidos num determinado período de tempo, conforme a vontade do atleta/treinador.

Referências Bibliográficas:

Larsen, C. H., & Engell, C. (2013). The art of goal setting: A tale of doing sport psychology in professional football. Sport Science Review, 22(1-2), 49.

Maitland, A., & Gervis, M. (2010). Goal-setting in youth football. Are coaches missing an opportunity?. Physical Education and Sport Pedagogy, 15(4), 323-343.

Mellalieu, S. D., Hanton, S., & O’brien, M. (2006). The effects of goal setting on rugby performance. Journal of Applied Behavior Analysis, 39(2), 257-261.